Fique por dentro do

mundo angelus

Quanto custa montar um consultório odontológico
Gestão
< Voltar

Quanto custa montar um consultório odontológico? Entenda!

Angelus | 28 de novembro de 2021

Antes de empreender, é importante que o dentista saiba avaliar quanto custa montar um consultório odontológico. Afinal, essa é uma das questões mais importantes para quem quer ter o próprio negócio, incluindo quem acabou de se formar ou já tem uma carreira consolidada.

Assim, para tomar melhores decisões, é fundamental realizar diversas pesquisas de preços, além de ter um planejamento e foco. Isso permitirá que você faça escolhas mais acertadas — de acordo com as suas necessidades e possibilidades.

Neste artigo, você conhecerá os principais custos envolvidos para montar um consultório odontológico. Continue a leitura e confira!

Quais são os custos para montar um consultório odontológico?

Como você viu, montar um consultório odontológico envolve diversos custos, que devem ser conhecidos e analisados pelo profissional.

Confira os principais aspectos que devem ser considerados ao dar esse importante passo:

Espaço (aluguel ou compra)

O primeiro custo para montar um consultório odontológico é com locação ou compra de um espaço físico. Nesse caso, o ambiente deve ter uma boa dimensão para acomodar todos os equipamentos necessários, além de recepção e salas de atendimento.

Em um primeiro momento, alugar pode ser uma alternativa mais atrativa. Isso porque não exige um capital inicial tão elevado. Ademais, costuma ser necessário aguardar um período para que o consultório tenha pacientes suficientes para manter as contas.

Nesse sentido, também é interessante manter uma reserva financeira que garanta o pagamento das contas. Outro ponto que vale analisar é a localização: embora a característica afete os custos relacionados ao imóvel, esse pode ser um fator relevante na atração de pacientes.

Equipamentos

O próximo custo é em relação aos equipamentos odontológicos. Nessa etapa, você deve pesquisar bastante para garantir a compra de materiais de qualidade e com um bom custo-benefício.

Afinal, existem diversas ferramentas fundamentais para um consultório odontológico. É o caso, por exemplo, de:

  • Cadeira odontológica;
  • Iluminação especial;
  • Autoclave;
  • Fotopolimerizador;
  • Compressor de ar;
  • Entre outros.

Como o preço desses equipamentos varia, vale fazer a pesquisa e comparativos para encontrar as melhores oportunidades.

Decoração

Gastos com decoração e projeto arquitetônico também devem ser contabilizados. O custo necessário varia de acordo com o público-alvo, estilo pessoal, tamanho do espaço, entre outros fatores.

Em geral, a decoração envolve itens relacionados a mesa, cadeira, armários, cortinas, luminárias, quadros, papel de parede, objetos decorativos, revestimentos, etc. Porém, dependendo do foco da clínica, pode ser necessário adotar móveis adicionais.

Por exemplo, na odontopediatra, pode ser interessante investir em brinquedos e um espaço kids para os períodos de espera, por exemplo.

Contratações

Manter uma equipe restrita é mais econômico para quem está montando um escritório. Contudo, montar um consultório odontológico pode envolver contratações mínimas, como auxiliar, secretário, advogado e contador — dependendo das necessidades do seu empreendimento.

Independentemente do tamanho da equipe, é necessário contabilizar os gastos com salários, férias, alimentação, entre outros benefícios. Afinal, esses custos terão impacto mensal no negócio.

Divulgação

É fundamental que clínicas odontológicas independentes invistam em divulgação. Isso garante que consumidores em potencial conheçam a nova marca. Portanto, os custos com publicidade e marketing devem constar no planejamento — sempre seguindo o Código de Ética Odontológico.

Nesse momento, vale avaliar a concorrência e as demandas da área para potencializar os diferenciais. Dessa maneira, seu escritório pode se destacar como uma alternativa de excelência em serviços odontológicos.

Qual a importância do capital de giro?

Outro cuidado importante ao lidar com os custos para montar um consultório odontológico é o capital de giro. Esse conceito está relacionado ao dinheiro necessário para garantir a continuidade do empreendimento.

Para tanto, ele envolve todos os valores em caixa, incluindo os depositados em contas bancárias e contas a receber. O motivo está no fato de que é comum que, no início do negócio, você não tenha lucro suficiente para manter todas as contas em dia.

Nesse sentido, o capital de giro garante que contas e fornecedores serão pagos em dia, sem riscos de prejudicar o orçamento. Além desse valor, que deve garantir que a empresa continue funcionando até se estabelecer no mercado, é fundamental ter um montante para gastos emergenciais.

E, ao fazer o seu planejamento, não se esqueça de garantir os valores necessários para o pagamento de impostos. Lembre-se de que a evasão fiscal pode levar ao fechamento do consultório.

Existem outras possibilidades de atuação?

Se você tem interesse em montar um consultório odontológico, mas não quer começar do zero, também existem outras possibilidades. Uma delas são as franquias, que também demandam investimento inicial, mas o preço inicial para o franqueado tende a ser menor.

Essa solução permite escolher marcas já consolidadas, o que aumenta a segurança em relação ao espaço no mercado. Assim, as chances de garantir mais lucros em menos tempo são maiores.

No entanto, como em qualquer área, manter uma franquia também envolve desafios. Entre eles, estão o atendimento e serviços padronizados, valores estabelecidos pela franqueadora e pagamento de royalties sobre o faturamento. Dessa forma, é essencial analisar se a alternativa é adequada para você, tendo em vista que há menor autonomia.

Outra possibilidade é se aliar a outro profissional e montar uma sociedade. Essa estratégia ajuda a reduzir os custos do investimento. Contudo, tenha em mente que os ganhos também serão divididos.

Se optar por essa alternativa, não precisa necessariamente contar com um dentista. É possível estabelecer a sociedade com um administrador de empresas e outros profissionais, que podem assumir as demais atividades necessárias ao funcionamento do consultório. 

Como realizar um planejamento financeiro para montar uma clínica?

Como você viu, montar um consultório odontológico envolve diversos custos. Por isso, é fundamental que todo dentista que deseja empreender tenha um bom planejamento financeiro. Inclusive, vale ressaltar que ele é importante em todas as fases da empresa.

Isso porque a falta de organização e planejamento é um dos principais problemas enfrentados pelos empreendedores. Logo, para evitar contratempos no futuro, é essencial que o consultório tenha um plano de negócio.

Nele, constará todas as informações sobre finanças, com os investimentos que serão feitos, por exemplo. Se você não tem o auxílio de um profissional especializado, vale a pena aprender como fazer o planejamento por conta própria.

Veja as informações básicas às quais você precisará conhecer para colocar seus planos em prática:

  • Custo fixo mensal;
  • Valor da hora de trabalho;
  • Média do custo variável mensal;
  • Procedimentos mais lucrativos para implementar;
  • Tratamentos que geram prejuízo.

Esses dados são úteis no momento de listar os investimentos que serão necessários e para fazer projeções. Além disso, são importantes para montar a reserva financeira e definir quais serão os preços cobrados por procedimentos.

Porém, vale lembrar que cada cidade brasileira tem um custo de vida diferente — o que influencia no investimento. Então não se esqueça de considerar todos os fatores na sua análise.

Agora você já sabe quanto custa montar um consultório odontológico. Com as informações que acompanhou neste post, será mais fácil avaliar as possibilidades com cuidado e se organizar para aumentar as chances de sucesso nessa jornada!

Quer complementar o seu conhecimento? Então descubra quais são as melhores ferramentas de gestão de tarefas!